Onde a excêntricidade revela-se estapafúrdiamente

Posts tagged ‘Música Brega’

A Música Brega Espanhola por Jeanette

Sei que já faz um pouco de tempo que não venho postando no blog e frisando que tenho uma lista de coisas interessantes pra este blog que pretendo ainda postar. Todo mundo que tem blog sabe que pra postar não e apenas copiar e colar e tem muita gente que faz isso alias, mas você tem que tirar um tempo pra pesquisar, fazer um garimpo pela net, e alem de tudo ter senso critico e de opinião sobre o assunto e depois editar a bagaça toda.

Um dia desses eu estava pesquisando sobre uma musica que eu vi ser tocada por uma banda de forro e achava muito familiar e ate brega e acabei descobrindo a cantora também.

A cantora é a Jeanette uma inglesa naturalizada espanhola que fez sucesso principalmente na Espanha com sua música, ficou também conhecida em outros países, compondo versões de sua musica em inglês, Frances, alemão e japonês. Só ouvindo a musica dela pra se lembrar, porque as músicas bregas são quase sempre pegajosas e familiares. E quem acha que musica brega só existe no Brasil está enganado, confiram a original em outras versões e adaptações.

Artista: Jeanette

Música: Porque te vas

Artista: Jeanette

Música: Soy Rebelde – Guakarimasu - versão em Japonês

Artista: Pato Fu

Música: Porque te vas

Hummm já ouvi esta música em algum lugar

Brega x Politicamente Correto

Para todos os amantes da censura

Na música brega, os seus cantores e compositores sempre tiveram uma liberdade de expressar suas idéias sem escrúpulo, adotando temas populares que faziam parte ou fazem parte da cultura brasileira e do imaginário popular, desde histórias sobre prostitutas, traições, a masculinidade, a feminilidade, a homossexualidade, as crianças, as drogas, a bohemia, a vagabundagem, a malandragem, os animais, as fantasias sexuais, o comportamento humano e outros diversos, abordados de forma simples e de fácil assimilação pela maioria das camadas populares. A música brega sempre foi motivo de preconceitos pela sociedade, principalmente, por aqueles que se consideram cultos ou intelectuais demais para aceitar esta música.

O ponto que quero chegar é sobre o papel importante que a música brega tem a respeito de expor e contribuir para liberdade de expressão. A censura sempre existiu, durante toda historia da humanidade sempre houve perseguição para exclui tudo aquilo que fosse contrario aos bons costumes e a moral da sociedade ou ao ideal do “estado”, fazendo com que essas pessoas que tinham idéiasdiferentes ou contrarias a alguém, vivessem na marginalidade. Pois, a maioria dessas pessoas com idéias marginalizadas foram as que mais influenciaram e contribuíram para o progresso e a inovação do mundo. E independente das idéias que elas tinham, apenas estavam evidenciando o seu direito que deveria ser legitimo de cidadão.

Viver com a lingua presa não tem graça!

Tudo que é brega não tem medo de ser criticado, porque ser brega já e motivo de crítica, seja qual for o tema ou o assunto abordado. E hoje se fala tanto em ser politicamente correto, que isso também se torna um tipo de censura da atualidade, seja num livro, na televisão, na radio, numa pintura, não pode fazer nenhuma tipo de apologia recriminatória ou algo considerado como ofensa a moral e a dignidade humana, porque se fizer as consequências são inúmeras na vida social.

A música brega sempre faz questão de evidenciar sua liberdade de expressão, por isso mesmo, eu fiz questão de colocar a música Vira-Vira de uma das bandas mais irreverentes, os Mamonas Assassinas. Lembrando que a banda toca rock que não deixa de ser brega.

Música para uma prostituta

Odair Jose

Odair José

Odair José, um dos maiores cantores bregas do Brasil, prestigiou com a música Vou tirar você desse lugar, que marcou a sua época e tornou-se um clássico da música brega. A letra da música conta a historia de um cara que se apaixonou por uma prostituta de um cabaré e promete tira-la do ambiente que ela se encontra, tentando convencê-la para fica ao seu lado e disposto a sofrer os riscos do julgamento das pessoas caso existisse.

Essa música é do tempo que não existia ou ainda não tinha se expandido a AIDS, e alias, na época não tinha uma grande divulgação dos métodos anticoncepcionais, então as prostitutas as vezes dava uma pimbada ou copulava sem nenhuma proteção e não estava envolvida em nenhum movimento feminista ou exigindo o seu direito como trabalhadoras. Tinham consciência da sua posição, pagando fazia de tudo, e como eram profissionais do sexo, na cama fazia gostoso. Nisso um otário se apaixona por esta mulher e tenta tirar ela do cabaré, com tantas mulheres para se ter, escolheu logo uma mulher da vida, achando que lavando e passando talco já era o suficiente.

Só o talco não basta!

Artista: Odair José – Vou tirar você desse lugar(original)

Artista: Paulo Miklos – Vou tirar você desse lugar

Artista: Los Hermanos – Vou tirar você desse lugar

LETRA DA MÚSICA

VOU TIRAR VOCÊ DESSE LUGAR

Olha, da primeira vez que eu estive aqui
foi só pra me distrair
eu vim em busca de amor

Olha, foi então que eu le conheci
naquela noite fria
nos seus braços meus problemas esqueci

Olha, a segunda vez que eu estive aqui
Já não foi pra distrair
Eu senti saudade de você

Olha, eu precisei do seu carinho
eu me sentia tão sozinho já não podia mais le esquecer

Eu vou tirar você desse lugar
eu vou levar você pra ficar comigo
e não me interessa o que os outros vão pensar
2x

Eu sei que você tem medo de não dar certo
pensa que o passado vai estar sempre perto
e que um dia eu posso me arrepender

E eu quero que você não pense em nada triste
pois quando o amor existe
não existe tempo pra sofrer

Eu vou tirar você desse lugar
eu vou levar você pra ficar comigo
e não me interessa o que os outros vão pensar

Wagner Moura um típico brega

 

O ator célebre nas suas atuações no cinema, consagrado nas novelas e na televisão brasileira, possui uma banda de rock que toca músicas bregas, alem de ter um repertorio próprio ao estilo roceiro brega. Com origem em salvador a banda tem uma trajetória desde 1992, apesar de ter parado por uns tempos e retornando logo depois. A banda foi criada entre amigos da universidade antes do ator ser famoso, então, se a banda fosse formada hoje ela se chamaria Wagner Moura e banda, pois o maior publico que ele recebe são fãs do trabalho dele como ator e lembrando: a maioria é mulher!

Wagner Moura

 

Apesar de que não importa muito falar os nomes dos integrantes da banda, pois parece mais uma carreira solo do Wagner Moura do que o próprio grupo irei relatar que alem do ator(voz) tem o Gabriel Carvalho (guitarra), Ede Marcus (guitarra), Serjão Brito (baixo), Claudinho David (violão), Tangre Paranhos (teclado) e Leco (bateria). Eles tem influências de Radiohead, the Cure, The Smiths, Led Zeppelin e Pink Floyd, além de cantores bregas como Odair José, Reginaldo Rossi, Waldick Soriano e Márcio Greyk, vamos dizer que a banda é uma mistura de rock inglês com brega.

 

A minha mãe não seu merda é a "Sua Mãe"

 

Neste filme recente que o ator Wagner Moura atuou o “VIPs” tem uma atuação dele cantando uma musica de Legião Urbana com sua Banda Sua Mãe. O filme conta a historia de um cara brasileiro que assumia várias identidades, com nomes variados e funções diferentes na sociedade na qual aplicava diversos golpes, o filme é parecido com o “Prenda-me se for capaz” como protagonista Leonardo DiCaprio.

O ator se intitula como brega, e tem a música brega como a super popular do Brasil. Isto eu concordo, sem dúvidas, apesar do brega esta se reinventado e se misturando a outros estilos. Confiram algumas música de Sua Mãe:

 

 


 

 

 

 

 

Popularidade da música Brega por Paulo Sérgio

Paulo Sérgio

Nada se compara a grande popularidade do brega, Paulo Sergio, um dos maiores cantores populares do Brasil evidência isto, neste vídeo no programa Caravela da Saudade Especial em 1978, apresentado por Alberto de Andrade e transmitido pela Rede Tupi. Paulo Sergio, apesar de possuir uma carreira artista bem sucedida, chegando a realizar shows no âmbito internacional, como nos Estados Unidos, Europa e America Latina, o cantor sofreu muito preconceito da mídia cultural e fonográfica devido ao seu início de carreira imitar algumas músicas do cantor Roberto Carlos e também pelo seu estilo romântico popular ou brega com temas tristes. O Cenário Artístico era muito restrito a artistas consagrados pela mídia, e Paulo Sergio sofreu esta restrição, apesar de Paulo Sergio já ter se apresentado em outros programas, como o de Silvio Santos devido a sua grande popularidade e admiração pelo público. 

Rede Tupi

Programa Caravela da Saudade Especial 1978

Paulo Sérgio – Eu te amo, eu te venero

Todo mundo já pegou o refrão, vamos lá:

Eu te amo, eu te venero
És para mim, tudo tudo que eu quero
eu te amo, eu te venero
És para mim tudo tudo que eu quero

O ser Brega: Ser corno ou não ser?

Essas crianças de hoje em dia! Já sentem a dor de corno?!

A identificação com alguém que foi traído é uma grande referência aos adeptos desse estilo, pois dizem que quem escuta “aquele sonzinho melódico, “piegues” ou romântico” quer relembrar a mulher ou o homem que amava ou os momentos que passaram juntos que por ironia do destino o “Chifre” separou a relação.

O sofrimento pela pessoa amada se prolonga na dor da traição, no amor não compreendido e na saudade que não passa, então, tudo que faça lembrar-lo (a) da pessoa amada, seja uma carta, um perfume ou cheiro e a própria “música” será “uma deixa” para viver uma ilusão amorosa. Os estilos Brega ofereciam ou oferecem isso, por ser, muita das vezes, uma música romântica e que alimenta a sensação de poder relembrar o amor perdido dos momentos de “Love”.

Essa identificação se torna tão popular por causa da cultura do Brasil, pois a própria origem dos estilos rotulados brega era tocados em cabarés ou prostíbulos na qual embalavam toda a sensualidade e as farras nesses salões de festas que recebiam todo tipo de gente, os comerciantes, os vendedores, os policiais, os professores, os contadores, os prefeitos, os advogados e até os juízes, desde a classe mais popular até a elite da sociedade que, independente dos motivos das pessoas que se encontravam na “casa de entretenimento” eles eram aceitos e era ignorado a sua vida pessoal.

E não poderia se esquecer dos bares, que realçam a fuga dos cornos acalentados pela música brega.

Welcome to the club

Mas, no entanto, não quer dizer, necessariamente, que quem ouve esteja sofrendo dor-de-cotovelo ou vivendo uma ilusão amorosa. A música é universal e atravessa gerações, valorizar uma música considerado brega depende do ponto de vista de cada um. Quando se cria um estereótipo com característica próprias, sempre haverá conceitos antecipados da pessoa que ouve determinada música. É preciso obter uma visão mais dinâmica das coisas que influenciam na música e na sociedade. Mas, na cultura do Brasil, o Brega deixou de ser baseado apenas em bolero e samba-canção, pois ele se reinventa a cada dia, se é de mau gosto, e daí?!

Música Brega?!

O Brega é um termo que teve origem no período da década de 60 e usada de forma pejorativa e preconceituosa pela classe média para designar o estilo de música tocada em prostíbulos nordestinos. Ela era a música romântica de artistas oriundos basicamente das classes mais populares que passou a ser considerada cafona e deselegante. Geralmente o estilo considerado brega era a Música romântica popular representado pelo:


Bolero: Estilo que mescla raízes espanholas com influências locais de vários países hispano-americanos, desenvolvido com tema romântico e ritmo mais lento. Que no Brasil misturou a outros estilos e incrementou outros instrumentos.


Samba-Canção: É um subgênero musical originário do samba, que surgiu no final da década de 1920, que teve grande sucesso a partir de 1950 depois passando a ser vinculado como música de “dor-de-cotovelo” e de excessos sentimentais. 

     

Muitos especialistas em música brega já tentaram conceituá-lo, mas o estilo, durante os anos, passou a influenciar e se fundir a outros gêneros musicais, o que tornava, na verdade, cada vez mais impreciso estabelecer uma definição clara sobre o que seria “música brega”. Então ele passou a não se restringir apenas aos artistas romântico-populares 

Curiosidade:

Nas décadas 60 a 70 havia muita relação dos cantores da Jovem Guarda no seu início de carreira com o brega, como foi com cantores Roberto Carlos , Eduardo Araújo e Wanderléia, por exemplo.

Será que Roberto Carlos é brega, foi brega ou teve seus momentos de brega? Tirem suas dúvidas!


Follow

Get every new post delivered to your Inbox.